sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Exercícios sobre a Internet: História, Funcionamento, Serviços e Pesquisa

Veja a seguinte apresentação.    Backup (Arquivo)


Observações:

1. A Guerra Fria justificou a criação um sistema de comunicações descentralizado, mantido sob segredo entre os militares até aos anos 80. A ideia seria assegurar as comunicações entre os sobreviventes da III Guerra Mundial. 

2. Com afinal da Guerra Fria deixou de justificar o secretíssimo, e a partir dos anos 90 esta tecnologia passou a ser utilizada pela sociedade civil.

3. O Protocolo TCP/IP, Protocolo de Controle de Transmissão, Internet Protocol, decompõe a informação em pacotes, que circulam do computador de origem até ao de destino por diferentes vias da rede. Imagine um comboio cujas composições fossem de Lisboa ao Porto por diferentes linhas (as mais desimpedidas), mas quando chegassem ao Porto o comboio ficaria alinhado porque as carruagens estão numeradas! Evidentemente que isto não sucede com os comboios, mas é assim que viajam os pacotes de TCP/IP no mundo virtual.

4. Serviços Web

Na fase inicial os browsers permitiam ler a informação que se encontrava na Web. Hoje estamos numa fase em que a Web apela à interacção com o cibernauta permitindo-lhe a criação dos próprios conteúdos (redes sociais, wikis, folksonomia). Os termos Web 1.0 e Web 2.0 são utilizados para assinalar esta evolução. 
Tem-se assistido à webização da generalidade dos serviços.


browser mais utilizado hoje é o Firefox

A mais recente novidade no mundo dos browsers, que aconselho a experimentar é o Google Crome

5. E-mail

G-mail introduziu um novo conceito de mail que tornou obsoletas as restantes aplicações.. Os conceito de “conversação” e de “arquivar” as mensagens, além da quantidade de espaço disponível e da facilidade de pesquisa, entre outras características, colocaram o G-mail na liderança do mercado.

Grupos de mail

Turma G1 - http://groups.yahoo.com/group/g1esgb/ g1esgb@yahoogroups.com

Turma G3 - http://groups.yahoo.com/group/g3esgb/ g3esgb@yahoogroups.com

6. Newsgroups

Mais uma vez a Google volta a dominar. O grupo português mais frequentado é o


7. FTP

Alguns servidores são de livre acesso, outros exigem password.

Experimente

ftp://ftp.telepac.pt Servidor de acesso livre.

ftp://ftp.prof2000.pt Servidor de acesso reservado aos seus utilizadores.

Uma utilização frequente requer a instalação se software específico, dito cliente de ftp. Entre os mais populares destacam-se:~
Este software é indispensável para construir sites Internet. Quando se edita um blogue, ao publicar a mensagem a tecnologia do serviço realiza o ftp sem que o utilizador se aperceba da operação.


6. IRC

Os canais de irc permitem teclar mais rapidamente que no MSN. Nos canais de irc podem encontrar-se dezenas de pessoas e naturalmente que o diálogo é impossível. Quando querem teclar a dois passam a faze-lo em privado, e se o “teclanço” se prolongar acabam por trocar os endereços do MSN. 

A regulação do IRC em Portugal compete à PTNET

O cliente mais popular de irc é o Mirc.

7. Pesquisa

Os mecanismos de pesquisa anteriores ao Google utilizavam operadores da lógica matemática booliana: +, - , ou, e, permitiam combinar estes operadores utilizando parêntesis. O problema é que os utilizadores nunca tiveram paciência para realizar pesquisas complicadas!

O Google mais uma vez foi inovador. Introduziu no motor de pesquisa mecanismos que lhe permitemutilizar as experiências dos próprios utilizadores para hierarquizar os resultados apresentados nas pesquisas.


1. A Escola só pode mesmo oferecer as competências básicas. As tecnologias mudam a uma velocidade tão acelerada que quem não aprender a aprender por si, mais tarde ou mais cedo, ficará ultrapassado.Comente. 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Exercícios sobre Tecnologia e Inovação

Leia o extracto da proposta de Barack Obama



Actualizar a Educação para atender as necessidades do Século XXI: Barack Obama vai enfatizar a importância da alfabetização tecnológica, assegurando que em todas as escolas públicas as crianças sejam dotadas com as necessárias competências em ciência, tecnologia e matemática, habilidades para ter sucesso na economia do Século XXI. Acesso a computadores e ligações em banda larga nas escolas públicas deve ser conjugada com professores qualificados, currículos flexíveis e um compromisso com o desenvolvimento de competências no domínio da tecnologia. Isto é central para a competitividade do sector tecnológico da nossa nação e dos nossos cidadãos. Obama também acredita que é preciso fortalecer a educação científica e matemática para ajudar a desenvolver uma qualificada força de trabalho e promover a inovação. Ele vai trabalhar para aumentar o nosso número de diplomados em ciências e engenharia, incentivar os jovens a estudar matemática e ciência para obterem graduação, e trabalhar para aumentar a representação das minorias e das mulheres na ciência e na área da tecnologia, representando a diversidade da América para satisfazer a crescente procura de uma mão-de-obra qualificada. Se vamos exportar o nosso melhor software e melhores empregos de engenharia para países em desenvolvimento, é menos provável que a América beneficie com a próxima geração de inovações em nanotecnologia, electrónica ebiotecnologia. Devemos ter mão-de-obra qualificada para que possamos manter e crescer empregos que exigem as competências do Século XXI em vez de obrigar os empregadores a encontrar trabalhadores qualificados no exterior.



1. Identifique a triologia de competências valorizada por Obama.


2. Relacione as competências tecnológicas com o crescimento económico.

Assista à reportagem da SIC sobre o papel da tecnologia na "escola do futuro".

Conheça os Projectos-chave do Plano Tecnológico da Educação. 







3. Comente o papel da tecnologia na "escola do futuro".

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Exercícios sobre Ciberdemocratização

As NTIC? Poderá inconscientemente esta sigla triunfante designar as “Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação”? Serão elas também, os Novos Tipos de Inequidades Culturais?


O Mundo muda, os recursos materiais e intelectuais com os quais precisamos de viver, agir, captar para a realização dos nossos projectos renovam-se, ao sabor das mudanças tecnológicas. Muda também, agora, o padrão das inequidades culturais que condicionam o acesso aos recursos. No campo da comunicação, a emergência da escrita, depois da invenção da imprensa, actualizou a nossa perspectiva do Mundo; mais tarde, o telefone, a radio, o cinema, depois a televisão e o vídeo fizeram-no à sua medida. Hoje, o multimédia, as redes mundiais, a realidade virtual, e mais banalmente o conjunto das ferramentas informáticas e telemáticas parecem transformar a nossa paisagem, as relações sociais e os modos de trabalhar, de se informar, de se formar, de se distrair, de consumir, e mais basicamente ainda de se expressar, de escrever, de entrar em contacto, de consultar, de decidir, e pouco a pouco, talvez o modo de pensar. Pierre Lévy (1997) não teme associar estas mutações a uma incipiente cibercultura que já se instalou.

A Escola não pode ser pensada afastada destas transformações. Não faltam os espíritos não totalmente desinteressados, para a incitar a juntar-se à “revolução numérica”. O meu propósito não é combater esta mensagem, mas somente a parte do mito libertador e igualitário frequentemente veiculado: a alienação e as desigualdades intelectuais e culturais manifestam-se diferentemente utilizando as novas tecnologias que utilizando o livro, mas elas não desaparecem como por magia, e podem mesmo agravar-se temporariamente, ou mesmo duradouramente se não forem tomadas em consideração.


1. A Escola face às NTIC
2. A desigualdade frente às ferramentas
3. A desigualdade frente à abstracção
4. Cidadania e redes 



Continuar a ler o texto EM FORMATO DOC Opção reservada aos utilizadores do Arquivo


1. Desenvolva dois aspectos referidos no ponto 4.1. A Escola face às TIC.

2. Refira os recursos intelectuais clássicos que “fazem a diferença” na generalidade das tarefas escolares. (ponto 4.3.)

3. Mostre que o papel da Escola é relativamente mais complexo quando pretende oferecer aos indivíduos (1) idênticas oportunidades de utilização da Internet (ponto 4.3.) do que simplesmente (2) idênticas oportunidades de acesso à rede (ponto 4.2.)

4. Discuta a possibilidade da Internet favorecer os melhores estudantes.

5. “Ainda é necessário saber-se se servem [os computadores] para desenvolver competências, suscitar projectos, criar situações problemáticas, avaliar de um modo formativo, regular em função de objectivos claros e realistas (...)”.

Justifique as dúvidas de Perrenoud quanto às potencialidades educativas dos computadores.

6. A arquitectura da Internet foi discutida a nível mundial ou foi imposta a todo o mundo pelos peritos? (http://www.w3.org/Justifique tendo em consideração as características da modernidade.

7. Que papel atribui Perrenoud à Escola, num mundo onde o poder se encontra tão inequitativamente distribuído?

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Exercícios sobre "A Agricultura Portuguesa e a Politica Agrícola Comum"


Mais de três quartos do território da União Europeia são terras agrícolas (44%) ou arborizadas (33%). No entanto, nos últimos 40 anos, os seus recursos naturais têm sido sobreexplorados pela agricultura, pela silvicultura e pelas actividades comerciais, em nome do aumento da produção. Do mesmo modo, a evolução tecnológica e razões de ordem comercial 8maximização dos lucros e minimização dos custos) têm levado a uma intensificação da agricultura. A PAC foi, então, responsável pelos níveis elevados de apoio aos preços agrícolas, que favoreceram a agricultura intensiva e o aumento da utilização de adubos e pesticidas. Estas práticas provocaram: A poluição da água e do solo; A degradação de alguns ecossistemas; Alterações na paisagem (destruição de sebes, muros de pedra, valas e a secagem de terras húmidas contribuíram para a perda de habitats naturais de muitos pássaros, plantas e outras espécies naturais); O aumento da erosão dos solos.


Agricultura quer crescer


A maior feira ibérica de agricultura biológica – a Terra Sã – abriu portas este fim-de-semana, em Lisboa. Durante três dias, o lema é cativar novos consumidores para "uma alimentação biológica e saudável".
Porém, subsiste a ideia de que o que é bio é mais caro. A diferença de preços prende-se sobretudo com a substituição dos adubos e pesticidas, por mais mão-de-obra e com baixa produtividade.
Portugal começou a dar os primeiros passos na agricultura biológica há cerca de 20 anos, mas o salto só aconteceu há dez, com o reforço das medidas agro-ambientais. O número de agricultores biológicos quintuplicou entre 1994 e 2004, para os actuais 1300, ou seja, 0,3% da população agrícola tradicional. A área total de cultivo vegetal aumentou 28 vezes, ocupando actualmente 3,5% da superfície agrícola de Portugal. No campo da produção animal, as cabeças de gado triplicaram entre 2002 e 2004, pois só a partir de 2001 é que a certificação deste tipo de produtos permitiu a evolução.
Porém, o Plano Nacional para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica, elaborado em 2004, ficou na gaveta. O actual Governo pretende integrar esta componente no Plano Nacional para o Desenvolvimento Rural. Para os responsáveis pelo sector "não se devem confundir produtos biológicos com os de denominação de origem: os biológicos têm as mesmas regras em todo o mundo (o que, em termos de exportação, é uma garantia), enquanto que um estrangeiro não sabe o que é a morcela de Aires". A exportação é uma das apostas deste mercado. Actualmente, Portugal já exporta cerca de 50% do azeite biológico que produz, por exemplo.
No entanto, é natural que se venha a registar uma descida na produção biológica porque há mais incentivos para outras medidas, como a de protecção dos aquíferos, aprovada este ano, através da qual os agricultores recebem quatro vezes mais para apenas reduzir o uso de químicos.

Adaptado de: "Expresso", 26 de Novembro de 2005



1. Diga o que entende por agricultura biológica.

2. Indique os motivos responsáveis pelos elevados preços dos produtos da agricultura biológica.

3. Relacione o desenvolvimento da agricultura biológica na União Europeia com as crescentes preocupações da população em geral para com a protecção do ambiente.

4. Enuncie outra estratégia (para além dos incentivos à agricultura biológica), referida no texto, que está a ser utilizada para valorizar os produtos da agricultura portuguesa.

5. De que forma a Agricultura Biológica pode contribuir para o desenvolvimento regional?

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Exercícios sobre Biotecnologia e Agricultura


Quando os primeiros agricultores, há 10 000 anos atrás, começaram a guardar para os anos seguintes as sementes das plantas que lhes pareciam mais produtivas, vigorosas, resistentes ou melhor adaptadas às condições locais, estavam de facto a procurar salvaguardar e incrementar as suas fontes energéticas.
Em boa verdade, poderia dizer-se que há Melhoramento desde que existe Agricultura.
Contudo, só no séc. passado com os estudos de G. Mendel sobre a hereditariedade foram estabelecidas as 1ªs bases científicas da Genética. E será já no inicio do séc. XX que estas importantes descobertas começam a ser utilizadas no melhoramento de plantas cultivadas.
Nos anos seguintes a evolução foi muito rápida. Na década de 30 quebram-se as barreiras da Espécie. O triticale, resultado do cruzamento do trigo com o centeio, é hoje uma cultura comum. A produtividade do milho passou de 1t/ha para mais de 10 em pouco mais de 50 anos. Situação semelhante ocorreu com a generalidade das culturas agrícolas, com a contribuição importantíssima do Melhoramento.
O essencial do processo, pese embora a natural evolução de muitas técnicas, continua, contudo, assente no cruzamento entre dois indivíduos(ou populações) préviamente seleccionados, com o objectivo de fixar na respectiva descendência características identificadas como desejáveis nos progenitores. O que nem sempre ocorre, dificuldade agravada por vezes com o facto de algumas características pretendidas serem, por esta via, indissociáveis de outras absolutamente não desejadas.
Sendo uma técnica ainda hoje imprescindível, do Melhoramento dito tradicionais não podemos esperar os avanços espectaculares que já protagonizou no passado. A Engenharia Genética, no âmbito mais vasto da moderna Biotecnologia, pode ter aqui um papel fundamental, pelo extraordinário potencial que encerra.


1. Tendo em conta as previsões dos valores a alcançar pela população mundial em 2050, qual o papel que a Engenharia Genética, no âmbito mais vasto da moderna Biotecnologia, pode ter na resolução deste problema (referir as contribuições desta para uma agricultura sustentável).

sábado, 9 de setembro de 2017

Exercícios sobre "O ciclo do Azoto"


As bactérias têm um papel ímpar nos ciclos biogeoquímicos, nomeadamente no ciclo do azoto, que só reacções mediadas pelas bactérias conseguem fechar; contrariamente à crença generalizada, que baseia todo o ambiente nas relações entre animais e plantas, o tecido do equilíbrio ecológico fundamenta-se essencialmente no variado metabolismo bacteriano.

1- Qual a importância do Azoto para os organismos vivos.
2- Faça um resumo da circulação deste elemento químico na Natureza.
3- Qual a função das bactérias nas raízes das leguminosas e dos solos no ciclo do azoto.
4- Refira de que modo o Homem pode interferir no ciclo natural do azoto.
5- Quais os efeitos da alteração antropogénica do ciclo do azoto.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Vídeo sobre "A quinta do futuro"


domingo, 3 de setembro de 2017

Vídeo sobre produtos biológicos

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Vídeo sobre hidroponia em Portugal